Presidente da Cáritas fala de aumento de 40% da procura de apoio social

Eugénio da Fonseca diz que a procura dos serviços de apoio da Cáritas tem crescido mais rapidamente do que na crise de 2008. O perfil de quem procura ajuda também preocupa

A Cáritas Portugal denuncia um aumento muito significativo e rápido da pobreza em Portugal. No Fórum TSF, o presidente da Cáritas fala de um aumento de "40%" na procura aos serviços da instituição em todo o país, uma procura que supera as necessidades, por exemplo, da crise de 2008.

Eugénio da Fonseca garante que, em abril, o número de famílias que recorrem a apoios sociais subiu de forma vertiginosa. "Os perfis das pessoas que procuram a Cáritas estão a ser aqueles que nós parece mais estranho que tenham sejam atingidos numa crise como esta. Estamos a falar de classe média e média/alta", nota o responsável.

"A situação agravou-se bastante, com uma rapidez maior do que na crise anterior", reitera o responsável, comparando os dados da Cáritas com os da crise de 2008.

Eugénio da Fonseca defende a criação de um plano de contingência nacional", para fazer face aos efeitos da crise. Para isso diz, é necessário intervir em várias frente. "Precisamos de uma área de emergência para responder as necessidades básicas. Mas também a recuperação economia com criação de emprego", defende Eugénio da Fonseca.

LEIA AQUI TUDO SOBRE A COVID-19

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de