Cavaleiro João Moura acusado de 18 crimes de maus-tratos a animais de companhia

Cavaleiro tauromáquico já esteve detido, no dia 19 de fevereiro de 2020, por suspeitas de maus-tratos a animais, mas foi libertado com termo de identidade e residência.

O cavaleiro tauromáquico João Moura foi acusado, pelo Ministério Público, junto com o Tribunal de Portalegre, da prática de 18 crimes de maus tratos a animais de companhia, sendo um dos crimes considerado de forma agravada.

"O Ministério Público junto do Tribunal de Portalegre requereu o julgamento de 1 indivíduo, fortemente indiciado da prática de 17 (dezassete) crimes de maus tratos a animais de companhia e 1 (um) crime de maus tratos a animais de companhia agravado, fatos ocorridos entre dezembro de 2019 e fevereiro de 2020, em Monforte, área desta comarca", pode ler-se no comunicado do Ministério Público.

A acusação, conhecida esta quarta-feira, surge quase dois anos depois da detenção de João Moura, na sequência de uma rusga à propriedade do cavaleiro, em Monforte, no Alentejo, onde foram apreendidos 18 cães alegadamente em mau estado, onde um dos quais acabaria por morrer.

João Moura já chegou a estar detido por suspeitas de maus tratos a animais, mas foi mais tarde libertado, com termo de identidade e residência.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de