Comboio Histórico do Douro entra nos carris este sábado

Até 29 de outubro vai realizar 37 viagens, entre as estações de Peso da Régua e Foz-Tua, ida e volta. Cinco carruagens de madeira do início do século XX são puxadas por uma locomotiva a vapor.

O Comboio Histórico regressa, este sábado, à Linha do Douro. Estão programadas 37 viagens, até 29 de outubro, entre as estações de Peso da Régua e de Foz-Tua, em Carrazeda de Ansiães. Apesar de já não haver limitações na lotação de 254 lugares, vai continuar a ser obrigatório o uso de máscara.

Na campanha de 2021, viajaram no comboio histórico cerca de 7.800 passageiros, a que correspondeu uma taxa média de ocupação de 96%. João Maurício, gestor de produtos turísticos e material histórico da CP, acredita que este ano "vai ser melhor", pois "tal como ano passado, a maioria das viagens esgotaram". Foi a razão que motivou o aumento do número de viagens. "Vamos ter 37 [o ano passado foram 32] e acreditamos que a maior parte vai, certamente, voltar a esgotar", disse.

A campanha de 2022 do Comboio Histórico do Douro arranca, este sábado, às 15h28, na estação de Peso da Régua. Antes do embarque nas cinco carruagens de madeira do início do século XX é servido vinho do Porto. A bordo há animação com um grupo de cantares.

Depois há uma breve paragem no Pinhão (Alijó), onde podem ser apreciados os painéis de azulejos da estação e o abastecimento de água à locomotiva CP 0186, construída em 1925. A viagem prossegue até à estação de Foz-Tua, em Carrazeda de Ansiães, onde haverá uma mostra de produtos regionais e a possibilidade de visitar, com desconto, o Centro Interpretativo do Vale do Tua. A viagem de regresso termina na Régua, cerca das 18h30.

Ao todo estão programadas viagens como esta todos os sábados, até 29 de outubro, e aos domingos, de 3 de julho a 9 de outubro. Segundo João Maurício "tem-se registado uma grande procura das viagens", o que o leva a constatar "com agrado" que "o turismo está de regresso ao Douro e à ferrovia". As primeiras estão já quase esgotadas por turistas nacionais e estrangeiros.

Mas como a pandemia ainda não acabou, tal como acontece nos outros transportes públicos, quem viajar no Comboio Histórico do Douro vai ter de usar máscara e aconselham-se medidas de prevenção como "desinfeção das mãos e etiqueta respiratória". Não fossem estas recomendações e as viagens poderiam ser iguais às do passado, "com mais datas, animação a bordo e sem limitação do número de lugares".

Dados estatísticos da CP revelam que, em 2018, viajaram no Comboio Histórico do Douro 6.190 passageiros. Em 2019 o número recuou para 5.420 clientes. Em 2020, devido à pandemia de Covid-19, o programa sofreu condicionamentos. Em 2021, entre 5 de junho e 30 de outubro, foram realizadas 32 viagens aos sábados e domingos, que somaram mais de 7.800 passageiros

Os adultos pagam pela viagem no Comboio Histórico do Douro, 45 euros, enquanto as crianças dos 4 aos 12 anos (inclusive) pagam 22,5 euros. Os bilhetes podem ser comprados nas bilheteiras e na bilheteira online da CP.

No dia 11 de junho, o Comboio Histórico do Vouga também vai regressar aos carris. Esta edição contempla 19 circulações que vão fazer o percurso entre Aveiro e Macinhata do Vouga, todos os sábados, de 11 de junho a 15 de outubro. As cinco carruagens históricas são rebocadas pela locomotiva diesel 9004 e têm capacidade para 206 lugares. Os preços variam entre 35 euros para adultos e 20 euros para crianças (4 aos 12 anos).

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de