Confirmado primeiro caso de coronavírus em Portugal. Segundo caso aguarda contra-análise

Doente infetado é um médico de 60 anos que esteve no norte de Itália.

Estão confirmados os primeiros casos de contágio pelo novo coronavírus em Portugal. Um doente testou positivo, enquanto outro aguarda uma contra-análise que vai permitir a confirmação definitiva pelo Instituto Nacional Dr. Ricardo Jorge (INSA).

"Há um caso confirmado e um outro caso ainda precisa de validação", anunciou Marta Temido em conferência de imprensa também com a Diretora-Geral da Saúde, Graça Freitas, o Secretário de Estado da Saúde, António Lacerda Sales e o presidente do Conselho Diretivo do Instituto Nacional de Saúde Dr. Ricardo Jorge-INSA, Fernando Almeida.

O doente infetado é um homem de 60 anos, um médico que esteve no norte de Itália de férias e apresentou sintomas no dia 29 de fevereiro. Não estava a trabalhar, pelo que não colocou outras pessoas em risco, ressalva a ministra Marta Temido.

O outro caso que testou positivo para o Covid-19, mas que ainda aguarda os resultados de um segundo teste de contra-análise, é um homem de 33 anos que esteve em Espanha em trabalho e apresentou os primeiros sintomas no dia 26 de fevereiro.

Os dois doentes foram identificados este domingo e encontram-se "estáveis", internados no Porto, acrescentou a ministra da saúde.

As autoridades portuguesas vão agora rastrear os passos destes doentes desde o dia em que apresentaram os primeiros sintomas para tentar identificar as pessoas com quem estiveram em contacto. Estão já "sob vigilância" as pessoas que lhes são mais próximas.

A Diretora-Geral da Saúde, Graça Freitas, diz que não há motivo para agravar as medidas de saúde publica em Portugal, nem vão ser feitos testes de forma generalizada, apenas os necessários. "Em Itália foram feitos milhares de testes que não detetaram ninguém", nota.

Contudo, vai ser aplicado aos voos de provenientes de Itália "uma rastreabilidade de contactos", medida já aplicada aos voos provenientes da China.

Os doentes que manifestem sintomas compatíveis com os de contágio pelo novo coronavírus - febre, tosse e dificuldade respiratória - devem contactar a Saúde 24 (808 24 24 24), em vez de se dirigirem às unidades de saúde.

"A palavra é tranquilidade", destaca Graça Freitas, pedindo aos portugueses que "confiem que as autoridades de saúde estão atentas". O risco da epidemia para a saúde pública mantém-se em "moderado a elevado".

LEIA AQUI TUDO SOBRE O SURTO DE COVID-19

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de