"Número arrasador." Filinto Lima fala em mais de "14.600 pessoas infetadas" hoje

O presidente da Associação de Diretores de Agrupamentos e Escolas Públicas diz que os dados de que tem conhecimento o levam a considerar urgente o fecho das escolas.

"Hoje, o número que tenho aqui à minha frente é arrasador. Temos mais 14.647 pessoas infetadas." As palavras são de Filinto Lima, presidente da Associação de Diretores de Agrupamentos e Escolas Públicas. O responsável garante que o medo está a apoderar-se da comunidade educativa.

Ouvido no Fórum TSF, Filinto Lima exorta o Executivo a dar ouvidos à ciência e a determinar o fecho das escolas, dados os casos diários que esta quarta-feira, diz, serão reportados. Trata-se de um aumento de quatro mil infeções em relação aos novos casos de terça-feira (10.455), de acordo com os dados apresentados pelo representante das direções escolares.

Filinto Lima diz-se alarmado com os números e pede o encerramento das escolas, porque os estabelecimentos de ensino "não estão fora da sociedade".

"A minha decisão tinha por base o parecer da comunidade científica. É o momento da ciência, não é o momento da política, e muito menos da politiquice." É assim que o representante dos diretores de escolas justifica a necessidade do fecho de escolas no imediato. Filinto Lima garante ser possível reorganizar o calendário escolar, "ocupando, por exemplo, as férias da Páscoa, com o intuito de recuperar pelo facto de as escolas poderem encerrar", mas diz ainda não ter compreendido as avaliações dos especialistas quanto aos dias ou semanas em as escolas poderiam, ou deveriam, ficar encerradas.

LEIA AQUI TUDO SOBRE A COVID-19

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de