Cursos com notas de ingresso baixas vão ter corte de vagas

Oferta das universidades e politécnicos de Lisboa e do Porto vai ajustar-se à procura conforme as notas de entrada dos alunos nos cursos.

A proposta do Governo de vagas para o ensino superior no próximo ano letivo prevê que os cursos em Lisboa e Porto com notas de candidatura mais baixas tenham de diminuir o número de vagas.

Este é o outro lado de uma outra medida que tinha sido noticiada na manhã desta quinta-feira que prevê que os cursos com médias de ingresso altas tenham, pelo contrário, um aumento de vagas.

Em comunicado o Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior explica agora que em Lisboa e Porto os cursos que em 2018/2019 não tiveram qualquer candidato de primeira opção com nota de ingresso superior a 17 valores deverão ter uma redução de pelo menos 5% nas vagas. A exceção são os estudos na área das competências digitais.

Por outro lado, o Governo pretende ainda não permitir a abertura de vagas nos cursos que nos últimos 2 anos consecutivos tenham tido uma procura reduzida, com número total de inscritos no primeiro ano inferior a 10.

Mais uma vez há, contudo, exceções: cursos com pouca oferta na rede pública ou "em áreas estratégicas da especialização da instituição" de ensino superior ou em que exista, ao contrário do passado recente, "procura confirmada de estudantes internacionais para o ano letivo de 2019-2020".

Do outro lado, como tinha sido noticiado na manhã desta quinta-feira , o Governo quer dar mais 5% a 15% de vagas aos cursos em Lisboa e Porto com elevado número de candidatos com nota superior a 17 superior.

Na prática o Governo cria um novo critério na definição de vagas nas universidades e politécnicos: passam a "entrar na ponderação critérios como a intensidade da procura por alunos de maior mérito, que devem ver ampliadas as suas possibilidades de acesso ao ensino superior no curso da sua preferência".

Continuar a ler

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de