GNR de Avis despejada. Proprietário fartou-se de esperar por um novo quartel

Autarquia diz que teve de encontrar, rapidamente, uma solução provisória para um problema que há muito devia ter sido resolvido pelo Governo.

A GNR foi despejada do degradado posto do município de Avis pelo proprietário que estava cansado de esperar que o Governo construísse o prometido novo quartel, abandonando o velho imóvel.

A história é contada à TSF pelo presidente da autarquia que de um momento para o outro, a correr, para que o concelho não ficasse sem GNR, teve de encontrar um outro edifício para ceder gratuitamente ao Ministério da Administração Interna.

Nuno Silva explica que ao contrário do que se possa pensar Avis, no Alto Alentejo, sofre cada vez mais com assaltos, nomeadamente a habitações e a idosos, pelo que ficar sem a GNR não era aceitável.

Há mais de duas décadas que o município espera pela construção do novo quartel e há dois anos o proprietário do degradado posto confrontou a GNR com duas hipóteses: ou comprava o imóvel ou deixava-o.
A escolha foi deixá-lo, conta o autarca, pois o imóvel não tinha as mínimas condições, mas os atrasos continuaram e dois anos depois a obra ainda nem arrancou, apesar de há muito o município ter cedido um espaço para o futuro quartel.

Nuno Silva fala numa situação "caricata" pois passados dois anos os militares da GNR foram agora convidados pelo proprietário, cansado de esperar, a abandonar umas instalações degradadas e sem condições, passando para outras instalações provisórias que também não são boas mas que foram aquilo que o município conseguiu arranjar rapidamente.

O autarca explica que já tinha alertado o Governo para o risco deste despejo acontecer neste mês de maio, mas nada, de visível, no terreno, foi feito.

Algumas horas depois da publicação da notícia original, a GNR esclareceu que "não recebeu qualquer ordem de despejo" e que o atual posto "será transferido, na sequência de um processo planeado de mudança temporária aceite pelo atual senhorio e edilidade, para instalações cedidas pelo Município, o qual será concretizado no final do próximo mês de agosto".

Em comunicado, a GNR acrescenta que "o procedimento de empreitada para a construção do novo Posto está previsto para os próximos 3 meses."

LEIA A RESPOSTA DA GNR NA ÍNTEGRA

Na sequência da notícia "GNR de Avis despejada. Proprietário fartou-se de esperar por um novo quartel", publicada no sítio da internet da TSF, hoje, 30 de maio de 2019, vem o Comando da Guarda esclarecer que não recebeu qualquer ordem de despejo.

O atual Posto será transferido, na sequência de um processo planeado de mudança temporária aceite pelo atual senhorio e edilidade, para instalações cedidas pelo Município, o qual será concretizado no final do próximo mês de agosto, até que esteja pronto o novo quartel.

Acrescenta-se que o procedimento de empreitada para a construção do novo Posto está previsto para os próximos 3 meses.

Notícia atualizada dia 31, às 7h30

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de