Mais de 50 mil pessoas esperam vaga no SEF para completar processo de residência

Ministro da Administração Interna reconheceu esta semana, no Parlamento, que há uma "apropriação ilegítima" dos agendamentos no SEF.

Há mais de 50 mil pessoas à espera de uma vaga no Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF) que permita completar o processo de autorização de residência em Portugal. Esta semana, o ministro da Administração Interna, Eduardo Cabrita, admitiu que há problemas de "apropriação ilegítima" destas vagas e prometeu ​​​​melhorias aquando da reabertura do SEF, no fim do verão.

Alguns dos imigrantes à espera organizaram-se em grupos e, um deles, a Comissão dos Imigrantes em Portugal para a Liberação da Residência, é composto por cidadãos brasileiros. À TSF, um dos responsáveis, Sylvio Micelli, cujo processo está em curso "há quase dois anos" deu conta de que a espera é insuportável.

"A minha manifestação de interesse demorou um ano a ser analisada: entrei em fevereiro do ano passado e ela saiu em fevereiro deste ano", explica. Passados quatro meses, "não conseguimos sequer agendar e sabemos que há agendamentos que estão a ser feitos para outubro", daqui a outros quatro meses.

A manifestação de interesse é o mecanismo mais habitual para os imigrantes pedirem a autorização de residência, mas com o alargamento dos prazos para a pedir, alargam-se "as consequências e também os problemas".

Sylvio Micelli sublinha que o processo é pouco transparente e que "causa estranheza", uma ideia deixada pelo próprio ministro da Administração Interna, e com a qual o imigrante concorda: "São vagas que aparecem de repente e acabam em dez ou 15 minutos."

"Dá até a ideia de que existe alguma outra coisa e há inclusive advogados a mobilizar-se" para saber o que está a passar-se no SEF. Tal como aconteceu com outros serviços, também o SEF e os seus atendimentos foram afetados pela pandemia, mas o problema "já era anterior".

Esta quarta-feira, no Parlamento, Eduardo Cabrita reconheceu que, em 2020, "houve de facto uma limitação dos atendimentos", existindo "um acumulado" devido à pandemia de Covid-19 que "exige uma resposta".

Segundo Eduardo Cabrita, em 2020 foram feitos 24.350 atendimentos para concessão de autorizações de residência e este ano, até 15 de maio, já foram feitos 23.700 atendimentos.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de