Primeira fábrica de reciclagem de lítio da Península Ibérica nasce na Bairrada

A trabalhar só num turno, a fábrica terá capacidade para reciclar oito toneladas por dia.

A EDM Tech, empresa situada em Oiã, no concelho de Oliveira do Bairro, fabrica baterias e quer até ao final do ano estar a reciclá-las numa unidade próprio, que ainda não tem sítio definido. Neste momento, a empresa está a tratar dos licenciamentos e do processo de financiamento. "Estamos à procura do melhor caminho de financiamento para esta operação", afirma Paulo Alves, administrador da empresa.

A trabalhar só num turno, a fábrica terá capacidade para reciclar oito toneladas por dia.

Até agora, as baterias elétricas que têm o lítio, são armazenadas em Portugal e em Espanha e depois transportadas para França ou Alemanha, onde estão as principais fábricas de reciclagem de baterias.

A EDM Tech é uma empresa com dez anos, que começou na eletrónica, mas que há cerca de sete anos se expandiu para o desenvolvimento de baterias por medida. No áudio desta notícia pode ouvir Paulo Alves a explicar o porquê de ter decidido avançar para a reciclagem de lítio das baterias.

Armazenagem de lítio ainda antes da fábrica

O administrador da EDM Tech avança que o armazenamento das baterias de lítio vai avançar primeiro, como "forma de preparar o futuro". Trata-se de uma estratégia, pois receberão lítio de vários fornecedores durante o ano e depois a fábrica começará por dar escoamento a esse lítio armazenado, por forma a garantir a sua produtividade.

O foco será em Portugal e Espanha porque não existem no território fábricas de reciclagem, mas também "como é um resíduo perigoso, que tem de ser transportado com condições especiais vamos focar-nos no mercado ibérico", acrescenta.

Paula Alves reconhece que o negócio, para já, não será rentável, mas está a ser pensado de olhos postos no futuro. O administrador explica no áudio o que o faz apostar num negócio que ainda não é rentável, mas que considera com futuro.

"Acreditamos no ambiente e queremos ter uma pegada amiga deste e também porque é uma necessidade que devemos colmatar", refere.

A produção deve avançar até ao final de 2021 e deve iniciar com dez colaboradores na fábrica, pois "as baterias têm um processo de desmantelagem que exige alguma mão de obra especializada, pois as baterias dos automóveis têm uma tensão que é fatal, por isso é preciso obedecer a um processo rigoroso para evitar acidentes", explica.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de