Vida noturna em Lisboa. Polícias alertam que segurança é da "responsabilidade de todos"

A ASPP reage com cautela à decisão dos empresários da zona de Santos, em Lisboa, que vão encerrar os estabelecimentos às 23h00, entre esta quinta-feira e domingo, de modo a controlar os ajuntamentos noturnos. Medida conta com o apoio do presidente da Junta de Freguesia da Estrela.

Os empresários da zona de Santos, em Lisboa, estiveram ontem à noite reunidos com o autarca da Freguesia da Estrela e, em conjunto, decidiram antecipar o horário de encerramento dos estabelecimentos às 23h00, de modo a evitar ajuntamentos a partir das 02h00, hora que que legalmente estão obrigados e fechar portas. Luís Newton, presidente da Junta de Freguesia da Estrela, diz que se trata de uma medida piloto, sendo que esta intervenção só faz sentido ocorrer se contar com o envolvimento da PSP.

Na opinião da Associação Sindical dos Profissionais da Polícia, a medida concertada entre empresários e a junta de freguesia da Estrela pode revelar-se eficaz. Paulo Santos, presidente da ASPP lembra que a segurança na noite de Lisboa não está apenas a cargo da PSP, por isso apela à responsabilidade de todos.

O presidente da Junta de Freguesia da Estrela explicou, ainda, que após as 23h, as autoridades deverão criar uma área delimitada, para evitar ajuntamentos.

O dirigente da ASPP, Paulo Santos, antecipa uma tarefa delicada e com algumas dificuldades, uma vez que a população nem sempre se mostra colaboradora.

O comissário Artur Serafim ressalvou que a polícia está também atenta a outras zonas da cidade que podem sofrer com a deslocação de pessoas provenientes de Santos."Neste momento identificámos três locais críticos na cidade de Lisboa, sobre os quais continuaremos a atuar, nomeadamente o Bairro Alto, Cais do Sodré e Santos. Não é possível estarmos em todos os locais", salientou o responsável.

"Já desde há algum tempo temos ajustado o tipo de policiamento e movimentado efetivo para este tipo de lugares", garante o comissário, que diz ainda que as autoridades estão a acompanhar de forma dinâmica, avaliando frequentemente o risco. "Se não houver uma grande concentração de pessoas, não há necessidade de condicionar os acessos."

A medida de antecipar o fecho dos estabelecimentos comerciais foi decidida numa reunião entre a freguesia da estrela e os empresários locais.

Nas últimas semanas, Lisboa tem registado situações de criminalidade violenta em contexto de diversão noturna, nomeadamente no Bairro Alto, Cais do Sodré e Santos, com ocorrências de esfaqueamentos.

* Atualizado às 14h25

LEIA AQUI TUDO SOBRE A COVID-19

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de