Transporte de dinheiro

Empresas vão poder transportar, sem segurança, até 150 mil euros

Empresas de segurança privada temem assaltos, falências e despedimentos no sector. Regra actual prevê um limite dez vezes mais pequeno.

As empresas que precisem de transportar dinheiro ou metais preciosos de valor entre 15.000 e 150.000 euros vão deixar de ter de recorrer ao apoio das polícias ou das empresas de segurança privada.

Até agora, esse serviço era obrigatório para montantes acima dos 15.000 euros, mas o limite multiplicou-se por dez na proposta que o governo acabou de apresentar ao parlamento, levando a Associação de Empresas de Segurança a pedir aos deputados que mudem o artigo apresentado pelo executivo.

O presidente da associação, Rogério Alves, fala numa lei em geral "hostil" para o setor e que agora tem esta "surpresa que nunca esteve prevista" nas discussões com o governo, "fazendo um xeque-mate às empresas que transportam valores".

Rogério Alves sublinha que as caixas multibanco são hoje carregadas com muito menos que 150 mil euros, sendo difícil perceber quem vai a partir de agora abastecer estas caixas ou transportar dinheiro das grandes lojas e supermercados, garantindo que as empresas de segurança foram obrigadas a investir muito nesta atividade, nos últimos anos, num total de 20 milhões de euros que agora ficam em causa.

Rogério Alves acusa o governo de não explicar as razões para esta alteração nos montantes que obrigam as empresas a fazerem transportes de valores com a ajuda de empresas de segurança ou polícias, pedindo aos deputados que mudem a proposta que receberam do executivo.

O tema estará em cima da mesa na reunião desta quinta-feira com o governo no Conselho de Segurança Privada.

  COMENTÁRIOS