Especial Incêndios

Especial TSF Incêndios 2017
Valdemar Alves

Presidente de Pedrógão admite "coincidências" mas "não compadrios"

Presidente da Câmara de Pedrógão está "tranquilo" e não foi constituído arguido.

Valdemar Alves reitera que "não há irregularidades" nem "desvios de verbas" no caso das reconstruções de casas em Pedrógão Grande, admitindo que se "venha a provar que uma ou outra poderá não ser [de primeira habitação]", mas aquelas que encaminhou para o fundo Revita "com certeza que serão".

Depois das buscas realizadas, esta tarde, na Câmara Municipal de Pedrógão Grande , o autarca garantiu que não foi "constituído arguido" e que a presença da Polícia Judiciária serviu apenas para "apreender o material que interessa para ser trabalhado".

As diligências foram feitas na Câmara e na Casa da Cultura, explicou o presidente, referindo-se à última como a "mais importante, onde estão os dossiês".

Questionado sobre um possível benefício de pessoas próximas aos autarcas no caso das habitações em Pedrógão Grande, Valdemar Alves reforçou que "não [acredita] no compadrio". "São terras pequenas, somos poucos habitantes, todos somos primos e primas, todos somos colegas e não há compadrio nenhum, não pode haver. Poderá haver coincidências, admito que haja coincidências que foram referidas mas nunca compadrios", garantiu o autarca.

O presidente da Câmara de Pedrógão está "tranquilo" e recorda que assinou, após os técnicos da autarquia, e sob "compromisso de honra", os documentos que lhe "puseram à frente". Mas mantém a opinião de que "não há irregularidades", tal como "não pode haver desvios de verbas".

"Desvios é impossível haver, só era pago aos empreiteiros e os nossos parceiros são de uma honestidade ímpar e têm contas na internet, são fiscalizados e penso que não pode haver desvios, é impossível", explicou aos jornalistas, frisando que se "diz que as casas não arderam", mas garante que arderam. "Eu sei que arderam", ressalvou. Nesta senda, Valdemar Alves salientou ainda que "houve tentativas de indivíduos que vieram pedir segunda habitação como primeira", mas assegurou que "esses não seguiram". Porém, disse também que "poderá ter escapado uma ou outra", mas que esta não é a regra.

  COMENTÁRIOS