"Foi o cansaço." Sande recorda acidente e revela que airbags não dispararam

Paulo Sande acredita que o cansaço esteve na origem do acidente desta quarta-feira, na A1.

O cabeça de lista do Aliança às Europeias, Paulo Sande, contou, à porta do Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra o que se passou no acidente em que o presidente do partido, Santana Lopes, e o próprio se viram envolvidos.

O candidato europeu reconhece que a fadiga teve um papel importante no acidente, garante que o carro não seguia a uma velocidade exagerada e revela que os airbags do carro não dispararam.

"Vínhamos de Coimbra, de uma ação de campanha sobre novas tecnologias. Por volta do quilómetro 132, de repente, foi como se o tempo se tivesse suspendido. O carro saiu da estrada, aparentemente demos uma ou duas cambalhotas", recordou Paulo Sande em declarações aos jornalistas, assumindo que toda a situação foi "um grande susto".

O acidente deu-se no sentido norte-sul, perto de Pombal, e deixou encarcerado Pedro Santana Lopes. O cabeça de lista, por seu lado, saiu pelo próprio pé, algo que o próprio diz que não deveria ter feito.

"Saí pelo meu próprio pé e nunca devia ter saído. Já apanhei um raspanete dos médicos, que me disseram 'nunca façam isso'", assumiu Paulo Sande, recordando que essa é uma mensagem importante para quem se veja envolvido em acidentes deste tipo.

Quanto aos airbags, Sande confirmou aos jornalistas que os mesmos não dispararam, não sabendo qual a razão do sucedido. "Como saímos praticamente sem lesões, terem disparado não melhoraria muito a situação, mas é estranho."

"Felizmente o automóvel ia devagar, não iria a muito mais do que 120 km/h. Portanto, o acidente não teve mais consequências, se fossemos muito mais depressa, teria tido. Foi o cansaço, provavelmente", reconheceu o candidato europeu. "Hoje levantámo-nos às 5h da manhã nos Açores e depois foi o dia inteiro...", recordou.

"Acontece a toda a gente, é infeliz. Estas campanhas são duras. Como é a primeira que faço, posso garantir que não é nada fácil", explicou Paulo Sande, garantindo que o partido vai regressar à estrada brevemente.

Pedro Santana Lopes, que ficou encarcerado, foi imobilizado no local e transportado de helicóptero para Coimbra. Segundo Paulo Sande, o presidente do partido "está mais dorido", mas tem esperança de que saia do hospital ainda esta quarta-feira.

LER MAIS:

- Santana Lopes e Paulo Sande em situação "estável e favorável"

- Santana Lopes e Paulo Sande sofrem acidente

Continuar a ler