Seca. Álvaro Amaro defende no Parlamento Europeu apoios para setor "nunca prioritário" da agricultura

A seca em Portugal e Espanha vai ser discutida esta manhã no Parlamento Europeu. O eurodeputado Álvaro Amaro vai solicitar medidas extraordinárias de apoio aos agricultores.

Para ajudar os agricultores a enfrentar a seca com que Portugal se vê confrontado, o eurodeputado do PSD Álvaro Amaro vai pedir esta manhã, no Parlamento Europeu, medidas excecionais de apoio.

O debate em Estrasburgo vai incidir na seca e outros fenómenos meteorológicos extremos na Península Ibérica e outras zonas da Europa. Álvaro Amaro, que vai ser um dos intervenientes, adianta à TSF que vai sugerir a criação de uma linha de crédito e a isenção do pagamento da Taxa Social Única para ajudar os agricultores. "Vou propor que fiquem isentos, por este período de tempo, as empresas agrícolas de pagar a Taxa Social Única, por exemplo. Tal como a linha de crédito para esse sistema de alimentação dos animais."

A situação torna-se emergente, com agricultores a virarem as costas ao setor, por não terem como alimentar os animais. "Há agricultores manifestamente a abandonar a sua atividade. Não têm o que lhes dar de comer, e a tentação é abandonar a atividade." Trata-se de uma "enorme injustiça", nas palavras do eurodeputado do PSD. Porque, sustenta, deixar a atividade é "criar um fosso maior entre o mundo rural e o mundo urbano".

Álvaro Amaro defende também que é preciso agir a médio e longo prazo sobre os sistemas hídricos, e aumentar a capacidade de armazenamento de água. "Em Portugal, segundo dizem as estatísticas, a nossa capacidade de armazenagem de água que cai é de apenas 20%", aponta o social-democrata.

"Todos sabemos as perdas que há em termos da gestão da água, mas, se todos sabemos isto, eu pergunto: então não é hora - com a estabilidade política, com os fundos europeus que estão aí, como, porventura, nunca estiveram - de olhar para este setor com olhos de ver?" Para o eurodeputado, a resposta a esta pergunta é óbvia: "É hora, e é isso que eu vou clamar à Comissão Europeia, e vou obviamente também clamar ao Governo português."

Segundo Álvaro Amaro, a agricultura é o "setor que nunca é discutido, nunca é prioritário, mas, quando chega a altura em que nós precisamos dos bens alimentares, todos ficamos a olhar porque diminuiu a produção, logo diminuiu a nossa capacidade e aumentou a nossa importação".

Na intervenção que entende fazer no Parlamento Europeu, Álvaro Amaro vai também apelar à criação das autoestradas da água, deixando uma indagação. "Vou falar também de algumas regiões de Espanha, porque a minha preocupação é olhar em termos europeus, mas olhar, em primeira instância - penso que é compreensível -, para o caso português. Por que é que não se olha a longo prazo para aquilo que às vezes nos queixamos que os espanhóis fazem? Por que é que zonas do país particularmente mais chuvosas, embora esta seca atinja o Norte e o Sul do país... Era importante fazer as chamadas autoestradas da água."

Álvaro Amaro salienta a importância de, em Portugal, "não estarmos dependentes daqueles que olham para si e primeiro pensam neles". Apesar de admitir que, na Europa, já ter havido um grande investimento em sistema de irrigação, com a criação de regadios individuais e coletivos em Portugal, o eurodeputado garante que "ainda há muito por fazer".

O debate sobre a seca foi pedido pelo grupo parlamentar do Partido Popular Europeu. O passado mês de janeiro foi o quinto mais quente e o segundo mais seco em Portugal, desde o início do século.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de