Declarações "gravíssimas e descabidas". Montenegro atira-se a Ferreira Leite e ameaça Rio

É preferível para o PSD ter um "pior resultado" eleitoral do que ficar com um "rótulo de direita"? Luís Montenegro condena Manuela Ferreira Leite e todos aqueles que querem um PSD "pequenino".

Luís Montenegro considerou as declarações de Manuela Ferreira Leite no programa da TSF Pares da República "graves e completamente descabidas".

"Dizer como ela disse que prefere um mau resultado a um rótulo, a um rótulo que ainda não existe, de uma coisa que ainda nem se realizou, que tem pessoas de vários quadrantes políticos que é a meu ver gravíssimo", disse o social-democrata no programa Almoços Grátis esta quarta-feira.

"Por trás desta afirmação está uma ideia de PSD com a qual eu estou em absoluto desacordo", acrescenta.

A ex-líder social-democrata Manuela Ferreira Leite considerou preferível o PSD ter um "pior resultado" eleitoral do que ficar com um "rótulo de direita" , num debate em que reduziu a Convenção da Europa e Liberdade à luta pelas listas de deputados.

"É muito perigoso que se possa matar no nosso espaço político ideia do PSD como um grande partido, com vocação maioritária, com vocação de Governo (...) é mesmo descaracterizar o PSD."

"Esta afirmação de Manuela Ferreira Leite, que corresponde à linha política da atual direção, não é a minha e quero dizer com toda a frontalidade: estarei sempre na linha de um PSD grande e ganhador."

Luís Montenegro garante mesmo: "Nunca militarei em nenhum outro movimento e nenhum outro partido que não seja o PSD nem participarei em nenhuma jogada que possa terminar nisso."

Na véspera do início da Convenção do Movimento da Europa e Liberdade (MEL), que junta várias figuras do PSD conotadas com a ala adversária da liderança de Rui Rio, incluindo Luís Montenegro, Manuela Ferreira Leite não poupou nas críticas, chegando a manifestar desprezo" pela iniciativa.

Luís Montenegro diz ter sido convidado para, nesta convenção, participar num painel onde estava também Luís Amado, António José Seguro (cuja presença acabou por não se confirmar), Francisco Assis. "Não são propriamente pessoas da direita."

A 1.ª Convenção da Europa e da Liberdade, que se realiza esta quinta e sexta-feira, em Lisboa, levantou polémica depois de o eurodeputado socialista Francisco Assis e o ex-deputado independente da bancada do PSD Paulo Trigo Pereira terem declinado o convite para participarem, já depois de os seus nomes terem estado no programa.

"Fizeram muitíssimo bem", considera Carlos César. Esta é uma "reunião de opositores à linha ideológica seguida pela atual direção", diz, "uma espécie de fórum das viúvas do Passismo", a "reunião de uma direita órfã".

"Não digo que mereça desprezo", admite o socialista, mas também "não inspira confiança".

Com Anselmo Crespo e Nuno Domingues

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de