Maioria quer remodelação, com Cabrita no topo. Governo e PR em queda acentuada

Marcelo, Costa, governo e oposição registam a pior avaliação desde julho passado, na sondagem da Aximage para TSF-JN-DN. Os inquiridos querem uma remodelação antes das autárquicas mas ainda acreditam que o Governo completa a legislatura.

A fadiga do eleitorado expressa-se, nesta sondagem, no desejo de remodelação do Governo e na quebra acentuada na avaliação dos principais atores políticos.

O Presidente da República tomba 15pp: dos confortáveis 70% do mês passado para os atuais 55% de avaliações positivas e regista também um aumento de opiniões negativas (de 10% para 18%).

Apesar da queda de Marcelo, é ainda no Presidente que os inquiridos, incluindo os do PS, mantêm mais confiança: 51% contra os 14% que escolhem Costa.

Em quatro meses António Costa deu um trambolhão de 20pp. Em março tinha 61%, caiu no mês passado e agora volta a perder 9pp para 41% de avaliações positivas), registando também uma subida nas notas negativas. Apenas 6pp separam agora o bom do mau. Destaca-se o descontentamento de mais de um terço dos eleitores da CDU e do Bloco.

Também o Governo mantém a rota descendente, quase empatando as opiniões positivas (37%) e as negativas (33%).

Com a avaliação do primeiro-ministro e do Governo em queda acentuada, se dependesse dos inquiridos desta sondagem, a remodelação avançava já antes das autárquicas e tinha como alvo principal o ministro Eduardo Cabrita.

São 81% aqueles que defendem uma remodelação (contra estão apenas 19%) e outros 79%, (entre eles uma larga maioria de eleitores do PS (81%), indicam o ministro da Administração Interna como o mais "remodelável", seguido de longe pela ministra da Saúde, com 29% e do ministro da Educação com 20%.

Sobre o momento mais indicado, 44% consideram que seria melhor antes das autárquicas (é esta a escolha do eleitorado PS), 23% apontam uma remodelação pós-autárquicas e 18% preferiam ver primeiro aprovado o próximo Orçamento (entre eles estão os eleitores da CDU). 15% não sabem ou não respondem.

Apesar de se acentuar a queda na avaliação positiva tanto do Governo, como do primeiro-ministro, ainda são 75% aqueles que acreditam que a legislatura vai chegar até ao fim (em maio eram 84%).

Entre os que acreditam que o executivo dura quatro anos estão fatias expressivas de eleitores de todos os partidos (no PSD, por exemplo, são 71%) e até o eleitorado do Chega contraria a visão do líder e acredita numa legislatura completa. Apenas cerca de 12% preveem um prazo de validade para o Governo entre seis meses e um ano.

No campo da oposição, a avaliação ainda é pior: metade dos inquiridos dão nota negativa (numa subida de 11pp), contra os 21% de positivas. Constata-se, por exemplo, que 55% dos social-democratas chumbam o desempenho da oposição.

Rui Rio (33%) sai reforçado como principal figura da oposição, em relação ao segundo que é André Ventura (desce para 27%), Catarina Martins continua terceira e 20% dos inquiridos não sabem ou não respondem a esta questão.

Ficha técnica

A sondagem foi realizada pela Aximage para a TSF-JN-DN , com o objetivo de avaliar a opinião dos Portugueses sobre temas relacionados com a avaliação os políticos. O trabalho de campo decorreu entre os dias 10 e 12 de julho. Foram recolhidas 763 entrevistas entre maiores de dezoito anos residentes em Portugal. Foi feita uma amostragem por quotas, com sexo, idade e região, a partir do universo conhecido, reequilibrada por sexo e escolaridade. À amostra de entrevistas, corresponde um grau de confiança de 95% com uma margem de erro de 3,5%. A responsabilidade do estudo é da Aximage Comunicação e Imagem Lda., sob a direção técnica de José Almeida Ribeiro.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de