Pedro Adão e Silva no centro da polémica, novidades sobre a Janssen e outros destaques TSF

Marcelo Rebelo de Sousa, António Costa e Rui Rio comentaram, ainda que de formas diferentes, a polémica em torno na escolha para liderar a preparação das comemorações dos 50 anos do 25 de Abril.

A polémica e discussão em torno da escolha de Pedro Adão e Silva como coordenador da comissão executivo das comemorações dos 50 anos do 25 de Abril, que se assinalam em 2024, chegou esta terça-feira ao Presidente da República e ao primeiro-ministro. Marcelo Rebelo de Sousa, que não vê razão para tanta polémica, considera que o historiador e politólogo é uma escolha "consensual, muito consensual" e revela que a escolha teve o aval presidencial.

Já o primeiro-ministro, António Costa, classificou como "insultuosa" a reação de Rui Rio à escolha de Pedro Adão e Silva. Se o líder do PSD considera que a escolha se prende com o "pagamento pelos serviços prestados" ao PS com recurso ao dinheiro dos contribuintes, Costa considera que essa é uma declaração "tão insultuosa" que deve ser ignorada.

No que diz respeito à pandemia em Portugal, a DGS atualizou a norma de vacinação com o fármaco da Janssen para estabelecer que os homens com mais de 18 anos já podem ser inoculados com este fármaco.

De Espanha chegou, esta tarde, um pedido de desculpas ao Governo português pela "confusão" em torno da necessidade de certificado de vacinação para viajar entre Portugal e o território espanhol.

Esta terça-feira, a Polícia Judiciária realizou buscas "na sede de uma sociedade comercial, em Departamentos de Contratação Pública de diversos Municípios, numa empresa pública de gestão de águas e em habitações nas zonas de Penafiel e Guimarães". Em causa estarão crimes de tráfico de influências e corrupção e há um antigo chefe de gabinete de um ministro implicado.

A PSP apresentou, quando faltam poucos dias para o habitual período das festas de Santo António, as regras a cumprir. A polícia promete tolerância zero para ajuntamentos e álcool em Lisboa.

Em França, o presidente Emmanuel Macron foi agredido por um popular durante uma visita ao sudeste do país.

Pela Tarde TSF de hoje passou Arnaldo Madureira, autor do livro "Salazar e a II Guerra Mundial", para contar alguns dos episódios num país onde a guerra não chegou com bombas.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de