Montras às escuras e temperatura controlada: entrou em vigor em Espanha o plano para poupar energia

Medidas vão estar em vigor até novembro de 2023 e são um primeiro pacote, que integrará um plano mais completo de redução e eficiência do consumo de energia que o Governo espanhol pretende aprovar depois do verão.

Em Espanha, entram esta quarta-feira em vigor várias medidas "urgentes" de poupança de energia que incluem montras sem iluminação à noite e ar condicionado nos 27 graus no verão em espaços públicos e comerciais.

De acordo com os jornais espanhóis, as medidas anunciadas pelo governo espanhol no início do mês começaram a ser implementadas horas antes do previsto, ainda na terça-feira. Às 22h00, em Madrid, já as montras de várias lojas estavam de luzes apagadas. E o mesmo acontecia em muitos edifícios públicos.

O "plano de choque de poupança de energia" decidido pelo governo determina também que, no verão, os ares condicionados não fiquem abaixo dos 27 graus e que, no inverno, os aquecedores não subam para lá dos 19 graus.

Todos os espaços com entrada direta desde a rua têm até 30 de setembro para instalar um sistema de portas que se mantenham fechadas quando não está a entrar ou a sair alguém.

Além disso, têm até 2 de setembro para afixar informação sobre a temperatura interior e as medidas adotadas para poupar energia.

Estão abrangidos por estas medidas de poupança de energia edifícios oficiais e das administrações públicas, espaços comerciais, a hotelaria e a restauração, espaços culturais (como cinemas, teatros, museus ou auditórios), estações de comboio, autocarro ou metro e os aeroportos.

O decreto prevê exceções para a climatização e aquecimento de espaços como as cozinhas dos restaurantes, ginásios, cabeleireiros, hospitais, lares de terceira idade ou laboratórios.

O plano tem gerado controvérsia em Espanha, com as regiões autónomas lideradas pelo Partido Popular a pedir para que as medidas não fossem colocadas em prática. O jornal El Pais escreve também que a autarquia de Madrid tem preparado um recurso para apresentar ao Tribunal Constitucional.

As medidas vão estar em vigor até novembro de 2023 e são um primeiro pacote, que integrará um plano mais completo de redução e eficiência do consumo de energia que o governo espanhol pretende aprovar depois do verão.

Em Portugal, espera-se que o Governo tome uma decisão no mesmo sentido até ao final do mês. Esta terça-feira, houve notícias de um suposto acordo entre António Costa e Pedro Sánchez para aplicar, do lado de cá da fronteira, medidas semelhantes às que entram agora em vigor em Espanha para combater a crise energética.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de