Costa quer rápidas decisões do Reino Unido para evitar saída descontrolada

António Costa falava aos jornalistas num hotel em Lisboa, pouco depois de ser conhecido que o parlamento britânico rejeitara o acordo de saída do Reino Unido da União Europeia negociado pelo Governo de Theresa May com Bruxelas, por 432 votos contra e apenas 202 a favor.

O primeiro-ministro lamentou esta terça-feira a rejeição pelo parlamento britânico do acordo de saída do Reino Unido da União Europeia e afirmou esperar que, "rapidamente", as autoridades britânicas informem quais os seus próximos passos para evitar uma saída descontrolada.

António Costa falava aos jornalistas num hotel em Lisboa, pouco depois de ser conhecido que o parlamento britânico rejeitara o acordo de saída do Reino Unido da União Europeia negociado pelo Governo de Theresa May com Bruxelas, por 432 votos contra e apenas 202 a favor.

"Lamento que não tenha sido possível aprovar o acordo que foi longamente negociado entre a União Europeia e o Governo britânico, porque era um bom acordo, já que correspondia às necessidades dos cidadãos britânicos na União Europeia e dos cidadãos da União residentes no Reino Unido. O acordo criava boas condições para uma transição para a saída do Reino Unido, que a União Europeia não deseja, mas que respeita, permitindo tempo para uma negociação calma e serena sobre a relação futura, que todos desejamos que seja o mais próxima possível", declarou o primeiro-ministro.

Após a rejeição do acordo negociado pela primeira-ministra, Theresa May, o líder do executivo português disse esperar agora que o Reino Unido, "rapidamente, informe a União Europeia do que pretende fazer nos próximos passos, porque há algo essencial a evitar: Uma saída descontrolada".

LER MAIS:

- Derrota pesada. Parlamento britânico chumba acordo do Brexit e moção de censura avança

- Quem tem medo de um Hard Brexit? As consequências de uma saída à força

- Mário Centeno: "É evidente que tem de haver um acordo para o Brexit. Seja este ou outro"

- Se o acordo do Brexit for chumbado, May deve tentar "alguma renegociação" com a UE

- Não haver Brexit é mais provável do que uma saída sem acordo. Adiar está fora de questão

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de